Volte ao SPIN

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O carro enfeitado do Sr. Elias

Caro spin curador, a obra está sob impasse, não sei mais onde eh meu espaço físico,  para mim a obra só chega ao seu ponto ideal quando pode existir de forma indefinida ou informe, assim como se chegou a este ponto, por isso não escrevi mais, não sei se foi por isso, talvez seja porque estou em período de observação, o carro enfeitado do Sr. Elias, spin catador de papel, resolvi distanciar-me após apreendê-lo,
A obra do Sr. Elias, quando exposta sob o olhar do público, teve outras leituras, há quem tenha dito que ele(Sr. Elias) apenas ia amontoando as propagandas de políticos que lhe davam em suas andanças,  claro que não é nada disso, talvez uma homenagem aos eleitos, ou algo de afeto, não cabe a mim secar ou explicar a obra, não gosto de disso, explicar se escreve explicar ou matar, o mundo é também pra ser sentido e não apenas prá ser explicado, que saco explicar obra

E por acaso haveria algum erro se o Sr. Elias fosse amontado coisas em seu carro de forma a virar uma assemblage ou reunião de coisas
Enfim, o carro do Sr. Elias virou polêmica no portal do Luis Nassif
Depois quero tocar noutros assuntos, o Zoo Lógico para os artistas
Estou com muita preguiça de escrever, deve ser a ressaca das festas de fim de ano
Não se volto a escrever nos dias, ou seja, no SPIN

Espero sair desse impasse quanto ao meu lugar de expressão, não sei se aqui ou no SPIN

Agora sei, no SPIN sim, não posso fugir desta lógica, o SPIN é a base, este blog de número 74 não pode ser o principal, a partir de hoje vai virar arquivo ou armário de notícias do mundo real ou comum ou raso ou superficial do qual partirei para o mundo das delícias com as obras que, porventura, surgirem, assim como foi o caso do carro do Sr. Elias, se bem que meu tempo está curtíssimo, sem liberdade esto por estar submetido ao regime de trabalho taylorista, tudo bem, esta falta de liberdade poderá ser o limão do qual farei a minha limonada, falando nisso, vi na Justiça Federal um advogado fotografando cada página de um processo de 600 páginas, foi quando lembrei-me que, eu poderia ter feito isso com meu acervo ao invés de simplesmente jogá-lo no lixo,  onde eu estava para ter feito aquilo, com as fotos era só digitalizar, ou seja, transformar a imagem do texto ou objeto ou escultura ou desenho ou pintura em documento digital, já se foi, nem sei pq estou falando isso, ah sim, é que quando eu tinha liberade ou tempo suficiente criei e não preservei, agora que não tenho tempo ou liberdade gostaria de ter em mãos o construido,


P.S.- estou enviando cópia desta mensagem para publicação direta no blog

É tão estranho se ter 74 blogs + 1 +_ vários e não se saber em qual escrever ou pousar ou posar, ah, tem o da família, este está precisando de uma repaginação, vi que não está bom, vi após afatar-me, como é difícil criar ou olhar ou ser,

Nesta semana estou viajando prá Caldas Novas, a dona da Lan House, veio avisar que está fechando o recinto

Nenhum comentário: